Cinema moçambicano: uma merecida homenagem a Camilo de Sousa

Camilo de Sousa, a homenagem que tardava

O cineasta Camilo de Sousa é o próximo homenageado no programa “Noite de Abraços”, numa apresentação a ser feita pelo cineasta e secretário-geral da Associação Moçambicana de Cineastas (AMOCINE), Gabriel Mondlane. O acto terá lugar esta quinta-feira, às 18.00 horas, no espaço do Sheik, onde irá se discorrer sobre vida e obras daquele que é um dos maiores cineastas moçambicanos.

Membro fundador e vice-presidente da Associação Moçambicana de Cineastas, criada em 2003, Camilo de Sousa nasceu em Lourenço Marques a 29 de Maio de 1953, onde fez os estudos secundários.

Em 1968, começou a interessar-se pela fotografia, trabalhando nas Artes Gráficas e, posteriormente, como repórter fotográfico e redactor do diário “O Jornal” publicado na então cidade de Lourenço Marques. Em 1972 refugiou-se na Bélgica, onde obteve o estatuto de refugiado político junto às Nações Unidas (UNHCR).

Em 1973 partiu para a Tanzânia e juntou-se à Frente de Libertação de Moçambique, participando na luta pela Independência de Moçambique.

Depois da proclamação da Independência Nacional em 1975, trabalhou em diversos projectos de carácter social e de comunicação na Província de Cabo Delgado, criando a primeira rede moçambicana de correspondentes populares de informação e levando o cinema móvel a todos os distritos e localidades desta província.

Em 1980, ingressou no Instituto Nacional de Cinema, onde trabalhou até 1991 como realizador, editor, director de produção, produtor e, finalmente, Director Geral de Produção.

Em 1992, com outros profissionais de cinema e comunicação, criou a primeira cooperativa independente de comunicação e produção de imagem, a Coopimagem.

Em 2001, associou-se à Ébano Multimédia, onde tem vindo a desenvolver a actividade de Produtor e Realizador.  É membro fundador e vice-presidente da Associação Moçambicana de Cineastas, criada em 2003.

Ele conta com uma participação em centenas de produções cinematográficas, como produtor, director, realizador, primeiro assistente.

Nas produções cinematográficas que marcaram Moçambique, Camilo de Sousa tem a sua participação, onde, a título de exemplo, se pode citar a sua presença no filme “O Tempo dos Leopardos”, uma longa-metragem de ficção co-produzida por Moçambique e a Jugoslávia.

A sua marca está igualmente presente no filme “O Vento Sopra do Norte”, uma longa-metragem de ficção do cineasta José Cardoso.

A “Noite de Abraços” é um evento cultural que visa criar um espaço para a interacção directa e informal entre personalidades da cultura moçambicana e os seus admiradores, constituindo uma oportunidade para os fazedores culturais trocarem impressões com os seus colegas e admiradores, partilhando caminhos que levem ao desenvolvimento cultural.

ALGUNS DOS VÁRIOS PRÉMIOS COMO PRODUTOR E REALIZADOR

REALIZADOR:

* “Um dia às 7.30 horas” 16mm p/b Moçambique – Melhor Documentário Moçambicano, 1983

* Não Mataram o Sonho de Patrício”, documentário, 16 mm p/b, Moçambique – Prémio do Centre International des Filmes pour les Enfants e la Jeunesse (Paris)

* “Ondas Comunitárias”, documentário, Betacam SP, Moçambique -Adquirido pelo CFI (França) foi difundido por toda África e em alguns países europeus em português, inglês e francês através da TV5

* “JUNOD”, documentário, Betacam SP, Moçambique – Prémio FUNDAC Kuxa-Kanema para o melhor filme moçambicano 2006

PRODUTOR:

* “Sonhos Guardados” (de Isabel Noronha) docu-drama, Moçambique * Melhor Documentário no Festival de Cinema dos Países de Língua Portuguesa – Cataguazes, Brasil, 2005

* Prémio Instituto Camões – FIKE – Festival Internacional de Évora (Portugal) 2005

* Prémio FUNDAC Kuxa-Kanema para o melhor filme moçambicano 2005

* “Acampamento de Desminagem” (Licinio Azevedo) documentário Moçambique

* Prémio no Festival Internacional de Milano para o Melhor Documentário

* “O Grande Bazar” (Licinio Azevedo) ficção, Moçambique – FIPA de Prata (Biarritz França) 2006

* “Hósdedes da Noite” (Licinio Azevedo) docu-drama, Moçambique – FIPA de Ouro (Biarritz França) 2007

* “Ngwenya, o crocodilo” (Isabel Noronha) docu-drama, Moçambique

* Festival de Milano – Melhor documentário de África, Ásia e América Latina

* “Trilogia das Novas Famílias” (Isabel Noronha) docu-drama Moçambique – FDC

* Prémio FUNDAC Kuxa-Kanema para o melhor filme moçambicano 2007

* “Mãe dos Netos” Isabel Noronha e Vivian Altman – Animação Moçambique – FDC

* Seleccionado para vários festivais internacionais, especializados em animação, que tiveram lugar em 2009.

Uma resposta to “Cinema moçambicano: uma merecida homenagem a Camilo de Sousa”

  1. Pentti Riuttu Says:

    Dear Sirs,
    We would like to contact Camilo with email. Please, send his number.
    Regards
    ppasanen

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: