Estação central dos CFM sétima mais bela do mundo

O centenário será no próximo ano

O centenário será no próximo ano

A estação central dos Caminhos de Ferro de Moçambique, na cidade de Maputo (capital do país), foi escolhida pela prestigiada revista norte-americana “Newsweek” como a sétima mais bela do mundo, num “ranking” que incluiu todas as infra-estruturas do género em todo o mundo, das mais “modestas” às mais famosas.

A pesquisa da “Newsweek” tomou em consideração o traçado arquitectónico e o seu nível de conservação, algo que, no caso da imponente obra, casa a história com o empenho da instituição que a tutela, a empresa Portos e Caminhos de Ferro de Moçambique, em conservá-la.

A estação ferroviária de Maputo é uma obra secular concebida pelo arquitecto francês Gustave Eiffel, célebre por ser o criador de várias obras no mundo e que têm como traço comum o uso do ferro na sua execução. O seu nome ficou eternizado – e projectado – pela famosa torre parisiense que leva o seu nome.

Em Moçambique, as obras de Gustave Eiffel não se ficam pela estação ferroviário que é também património da cidade de Maputo. Foi o francês que concebeu também a Casa de Ferro, implantada nas proximidades do jardim botânico Tunduru e em que funciona hoje uma direcção do Ministério da Cultura.

A estação central dos Caminhos de Ferro foi inaugurada em março de 1910, dois anos depois do início da sua construção. Contudo, a imponência com que se lhe conhece hoje só se verificaria a partir de 1916.

Hoje, para além de estação ferroviária por onde passam milhares de passageiros e mercadorias de e para Maputo (também para os vizinhos Zimbabwe e Africa do Sul), é também um local de cultura. Nela, vários eventos de carácter cultural e artístico têm sido promovidos, ao mesmo tempo que a empresa que a tutela (CFM) agenda implantar nela um museu ferroviário.

A mais bela estação ferroviária do mundo é, segundo a revista Newsweek”, a londrina de St. Pancras, seguida pela nova-iorquina Grand Central Terminal.

33 Respostas to “Estação central dos CFM sétima mais bela do mundo”

  1. […] Estação central dos CFM sétima mais bela do mundo A estação central dos Caminhos de Ferro de Moçambique, na cidade de Maputo (capital do país), foi escolhida pela […] […]

  2. José Manuel Buccellato Says:

    Foi com orgulho que soube da notícia.
    A estação foi construída pelo meu avô Giuseppe e considerada sempre um ex libris das suas obras.(estão espalhadas por Maputo).
    O actual estado de conservação não é alheio ao cuidado que punha em tudo o que fazia e para quem o conceito de qualidade já era válido há 100 anos
    Contava-me que das inúmera obras que fez, o maior problema que teve foi com a estação.
    Colocar a cupula em ferro, numa época em que não havia gruas e os guindastes pouco mais eram que organização de roldanas.
    Conseguiu, ficou perfeito e ainda lá está.

  3. Conceição Rolo Says:

    Não danificar mais o Património Histórico Português em território Estrangeiro.

  4. maria celeste ramos Says:

    Como é belo o património que os portugueses deixaram pelo mundo e que se tornou de interesse para toda a humanidade que aprecia a herança que faz parte da história dos mundos

  5. Maria Celeste Rebelo Calejo Says:

    Foi com emoção que vi homenageada a lindíssima Estação dos Caminhos de Ferro de Moçambique (CFM), local onde meus pais se conheceram (em 1940, ambos aí trabalhavam). Pude testemunhar – no Verão de 2006 – “in loco” o início dos trabalhos de construção do museu ferroviário, no seu interior.
    Tratando-se de uma publicação da prestigiada Newsweek, a notícia contribuirá, certamente, para dar maior visibilidade ao meu querido Moçambique

  6. natalia ribeiro jorge Says:

    Como fiquei feliz em saber que a estação do caminhos de ferro de Maputo é considerada a mais bela do Mundo, os Portugueses tem que sentir muito orgulho de todas as coisas belas que deixaram nesse LINDO MOÇAMBIQUE.

  7. ISABEL RODRIGUES FERREIRA Says:

    NASCI EM LOURENÇO MARQUES A 19 DE ABRIL DE 1963.
    POR ISSO ESTE PATRIMÓNIO É TAMBÉM UM “BOCADINHO DE MIM”…

    OBRIGADO

  8. Sidalina Gonçalves Says:

    A estação de caminhos de ferro de Moçambique é de facto maravilhosa e imponente.Como eu tenho saudades de quando me deslocava a baixa da cidade ia até lá só para a comtemplar!!!

    Fiquei deveras feliz sabendo que ela foi considerada a mais bela.

    Sidalina Gonçalves

  9. henrique serrano Says:

    Os ultimos anos da minha vida de Ferroviario no CTC control de comboios passei os nessa bela Estação de LOURENÇO MARQUES de 1966 a 1978 com muitos colegas algures por esse mundo fora entre todos recordo com saudade o HEDER DO CARMO que ja nao eata entre nos.

  10. Pondo de lado sentimentos pessoais em relação à minha cidade, é de justiça considerar esta peça de arquitectura com o enfase que lhe foi atribuido. Fico satisfeito por ter marcado presença internacional.

  11. Eduardo Vasconcelos Says:

    Este prémio que Moçambique acaba de receber é também uma homenagem a todos quantos, ao longo dos anos, ali trabalharam, em prol do desenvolvimento dos próprios CFM e de todo o território Moçambicano.
    Será bom não esquecer os que souberam erguer e conservar aquele grande património e gerir o desenvolvimento e a eficácia daquela grande empresa, para que tenha chegado hoje, com orgulho, a todos os Moçambicanos que nasceram já após a independência do País.
    Para todos, os de então e os de hoje, um grande abraço de parabéns.
    Viva Moçambique!

  12. Nasci em Lourenço Marques a 16 de Dezembro de 1963. Sinto muito orgulho pelo facto da nossa estação de CFM ser considera a sétima mais bela do mundo.
    Viva Moçambique!

  13. Vivi em Moçambique desde 1956 até 1975.Mudei então para Brasil e vivo até hoje.A estação de caminhos de Ferro frequentei e usuflui muito. Concordo plenamente a classificação da New York Times.
    Após rever as fotos da estaçaõ CFM,as lembranças memoráveis voltaram a tona.Pois foram 19 dos melhores anos que vivi na minha adolescencia.

  14. Como natural de Maputo, onde vivi de 1942 a 1962 é com muita satisfação que tomei conhecimento de tantos elogios à Estação de C.F. ,edifício imponente, belo e tão bem conservado pelas autoridades locais.Estas imagens merecem ser divulgadas pelo mundo inteiro, pois enchem de orgulho não só os que residem naquela Bela Cidade um dia chamada” Princesa do Índico” mas também todos aqueles que vivendo noutros países como eu a continuam a respeitar e amar.

  15. Rui Lima (Kyta) Says:

    Excelente notícia para quem naquele país nasceu e tenho o pai como trabalhador dos CFM na Malvérnia, ali embarcou e desembarcou vezes sem conta, local de chegada à civilização durante quase 10 anos.
    Um bem haja à “Newsweek”.

  16. Armando Gonçalves Says:

    Natural de Nampula (Sapataria Europeia). Estudei em LM. Conheci muito bem esta estação dos Caminhos de Ferro. O meu tio era maquinista. É muito gratificante ouvir notícias boas de todo o Moçambique. Fico feliz. A todos os moçambicanos desejo sorte e saúde. Abraço. MOKALA? Obrigado.

  17. A Estação central dos CFM é realmente uma obra tão imponente quanto bela. Pena que as autoridades de direito não se tenham ainda apercebido do seu vaalor e não façam uma manutenção mais cuidada.
    Alias, Moçambique, e Maputo em particular é rico em obras de arte. Basta olhar para os Paços do Conselho (Conselho Municipal) e para o edifício Central do Ministério das Finanças.
    Esperemos que as entidades ligadas ao património cultural despertem e comecem a dar um pouco mais de atenção à nossa riqueza patrimonial

  18. Margarida Bico Says:

    Cheguei ontem de Maputo, onde visitei a bonita e bem conservada Estação Central dos CFM. A antiga Praça Mac Mahon (hoje Praça dos trabalhadores), onde se localiza a estação, é hoje um local de grande afluência popular, não só pelo comboio que faz a ligação entre Maputo e África do Sul (Ressano Garcia) e Maputo e o Zimbawe, mas por ser um dos locais onde se concentram os transportes públicos da cidade. A antiga estátua, de homenagem aos europeus e africanos que combateram na grande guerra, conserva a sua dignidade, fazendo com a estação um todo.

    Muitos outros edificios que se localizam nas proximidades da estação, ligados ao transporte marítimo,mantêm também um bom estado de conservação, o que é reconfortante, sobretudo quando vemos tantos outros edifícios dessa mesma baixa abandonados e degradados. A vizinha Rua Araújo, que mantém as suas antigas “funções”, conserva também uns antigos edifícios coloniais muito bem conservados.

  19. Joaquim Afonso Machado Says:

    Tenho orgulho no meu país porque construiu e, mais ainda, em Moçambique por saber preservar esse legado arquitectónico.
    Bem hajam todos os que contribuiram e contribuem para preservar a história.
    Sem referências não há identidade.
    Por isso, lamento que no meu país não façamos o mesmo; pois continuamos a destruir, no âmbito ferroviário e outros, aquilo que muitos portugueses arduamente construiram:
    Linhas ferroviárias, Casas de Guardas Florestais e Cantoneiros, Escolas, Quarteis e Posto de Fronteira até os Vértices Geodésicos estão abandonados. Por último, os edifícios de Onda Média da RadioDifusão Portuguesa estão degradados e tantos com o escudo e a esfera armilar em granito, que tanto prestigiam as suas entradas.
    Não recordo o passado de 48 anos de escuridão, sou democrata, mas envregonho-me daqueles democratas, que defendi e até defendo, mas que não têm legitimidade para criticar esse passado (não basta a liberdade de expressão). Triste conclusão, volvidos que são tantos anos de “democracia”.

  20. Isabel Almiro do Vale Says:

    Lembro-me muito bem da bela estação. A carreira do meu machibombo terminava ali. A estação era o local de encontro de laurentinos e moçambicanos, «magaíças», que regressavam das minas do Jone….
    A estátua ao grande construtor…..

  21. NOEL MENEZES FERNANDES Says:

    Nasci e vivo em Maputo e sinto muito orgulho pelo facto da nossa estação de CFM ser considera a sétima mais bela do mundo.

    Esta noticia deve ser divulgada pelo mundo inteiro, pois enchem de orgulho não só os que residem dessa bela Cidade mas também todos aqueles que vivendo noutros países a continuam a amar.

    Viva Moçambique!

  22. maria fernanda sá pires Says:

    embora manhambana mas tenco vivido alguns anos no Maputo é com orgulho saber que a Estação dos Caminhos de Ferro vai ser uma das
    maravilhas do mundo.
    grande justiça ,grande justiça ao ex libris desta cidade maravilhosa “terra das mais desvairadas gentes”-congratulo-me com a manutênção desete principio de universalidade.
    Parabéns estação dos caminhos de ferro !

  23. Manuel M. Antunes Says:

    Vivi muitos anos em Moçambique, que considero um verdadeiro paraíso.
    O que ficou feito não foi só a estação ferroviária, foi também muito outro património de que nos devemos orgulhar.
    Em Portugal tratamos com imenso carinho todo o património que nos foi legado por todos os povos que por aqui passaram, e sabemos quem nos legou o quê. Espero bem que os moçambicanos das gerações vindouras saibam valorizar o património que herdaram e lhes ensinem, com honestidade, a história de quem o deixou ficar.

  24. vilmar vidor da silva Says:

    Não conheço Moçambique. Fiquei surpreso em saber que existe este
    soberbo monumento desenhado por Eiffel e muitíssimo bem consrvado.
    Parabéns aos moçambicanos !!

  25. Helena M Koehler Says:

    Vivi na minha infancia em Moçambique e também em Lourenço Marques, Amo Moçambique.
    Sinto que esta estação que eu tantas vezes vi e que nós portugueses construimos ainda me pertence.

    Tenho muito orgulho como portuguesa por termos deixado tantos cunhos por esse mundo fora.
    Faço votos que perdurem.

    nota: Vivi em Moçambique no tempo do colonialismo; no entanto acho que a História tem de seguir o seu rumo, por fases: uma fase foi o colonialismo.
    Agora é a vez dos africanos mostrarem o que valem.
    Seria bom que os africanos não cometessem os erros que alguns colonialistas cometeram, para bem da raça humana.

  26. Manuel Neves Says:

    Fico sempre contente de saber que o nosso legado ao mundo, uma vez mais fosse apreciado, o que muita das vezes não é feito nem reconhecido dentro de portas, é o costume.
    Claramente soberba e lindíssima a estação CFM que fico quase sem palavras para qualificar essa magnifica obra que mais uma vez os PORTUGUESES DEIXARAM AO MUNDO, bem hajam todos os lá trabalharam e nasceram nesse lindo país que é MOÇAMBIQUE, embora nunca lá tenha estado, mas conheço e tenho granjeando muitos bonitas amizades de pessoas que lá nasceram e viveram.
    Portanto, logo que me seja possível, só resta uma solução rumar a essa bonita terra – MOÇAMBIQUE -.

  27. Maria da Conceição Almeida Says:

    Vivi em Moçambique, na Beira quase 10 anos -de Nov.1962 a Junho de 1972 . Meu filho é natural de Moçambique e em breve irá a Maputo. vou recomendar-lhe que visite essa maravilhosa estação.

  28. manuel gonçalves Says:

    quando se fala de Maputo: pergunto porquê ? não Lourenço Marques que conheci nos anos de 60: é de louvar aquela obra uma construção muito sólida, dando todas as condições necessárias aos milhares de pessoas que por ali passam diáriamente: ( PARABENS )

  29. Luciana Fonseca Says:

    O meu avô foi maquinista nos caminhos de ferro de moçambique o nome dele é Nuno Leal Borges. Eu gostava de encontrar algumas fotos dele bem como das pessoas que trabalharam com ele.

  30. Aí nasci, em 13 de Janeiro de 1948. Meu Pai, António Augusto de Sousa Alves foi funcionário dos CFM (era o condutor Alves do cachimbo) e tenho imenso orgulho em ter nascido na cidade que detém este monumento mundial com um merecido 7º lugar!
    Visitem-no!
    Conservem este Património Mundial!

  31. Luis Soares da Cunha Says:

    Tive a honra de chegar, no Ano de 1952, à então Lourenço Marques através dos CFM vindo da África do Sul! Quando saí do comboio fiquei admirado com a riqueza desta Gare. Em nada ficava atrás do que já tinha visto na Europa. Pela vida fora continuei a ter essa ideia sempre que me proporcionava andar de comboio. É motivo de orgulho ter sido essa obra realizada por Portugal! Que seja mantida como até agora!

  32. Victor Portugal Valente dos Santos Says:

    Moçambique faz parte do meu imaginártio, juvenil e adulto. A terra e a cultura das suas gentes marcaram-me profundamente, de tal modo que semanalmente visito-a em sonho. Fiquei feliz com esta notícia que dá perenidade ao património que lá ficou, que é memória colectiva dos que por lá passaram e a amam. De modo semelhante seria interessante que a estátua equestre de Mousinho regressasse à Batalha, onde nasceu, património mundial. O facto poderia dar origem à junção, ao fortalecimento sentimental, cultural e económico, assim como a projecção daquele lindo País africano no continente europeu no sentido planetário. É uma reflexão de amor que partilho com todo o sentimento em direcção ao futuro. Agora o assunto é de todos nós.

  33. fic to evenc which and k a diskon company the to prod nd in for event

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: